domingo, 29 de dezembro de 2013

Socorro! - Para os seus olhos de mar

Por vezes quando olho em seus olhos 
Não sei dizer nunca tê-los visto antes 
Tudo o que peço é
PorfavorpeloamordeDeus
Me abrace.

É que hoje, solta 
Sou tão presa de mim mesma
Que como pássaro desacostumado
Posso morrer estando longe da gaiola.

Por isso é que, por vezes
Quando olhar em seus olhos
Não serão os meus olhos olhando nos seus 
Preste bem atenção
Serão todas as tonalidades da minha íris 
Mais do que suplicando o seu sorriso
Pedindo porfavorpeloamordeDeus
Me abrace
Se possível, com seus olhos de mar.