sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Poema para o meu amor distante

Quando só tomo o lugar de nós
Eis que me dou a torpeza
De lembrar da beleza
De darmos as mãos
Pelos olhos, poesia
Poetas que são
Os meus olhos dos seus
E nossos cílios tocados
Encurtando distância
Destinos cruzados
De nós, a lembrança
De tudo o que temos
Se há vida, esperança
Então, que amemos
O que faz aí
Onde está e por quê?
Aqui nada faço
Espero você

Meu amor.