terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Maybe

Sugiro a leitura ao som de Damien Rice - Delicate.

Você pode me ceder seus olhos por um instante? Mas prometa não deixá-los lacrimejar nem por um segundo, porque de água não só os olhos são cheios, mas também os rios, o mar, a enchente, e tudo o que é capaz de expurgar memórias pela correnteza. E se você lesse isto, você seria suficientemente forte para nadar contra a correnteza? 
Você pode me ceder a atenção por um minuto? Eu, um mosaico todo distorcido, sou um mal acabamento de uma obra de Picasso. Uma mistura genética com pimenta e açúcar, um tal de genialmente louco, grosseiramente sensível, sensivelmente poeta, poema. Um estado febril. Doente. (...)
Você pode me ceder algumas horas do seu dia? Eu tenho uma lista de pedidos para você. Está quente hoje, não termine de ler isto antes de se sentar em alguma mesa para pedir um ice tea, bem gelado. Já se sentou? Eu sei, você cruzou as pernas exatamente assim: a direita sobre a esquerda, apoiou os cotovelos sobre a mesa e está se sentindo num verdadeiro cárcere porque não pôde acender um cigarro. Sabia que comecei a fumar? Não sei ao certo se estou fumando ou se me é tão real a lembrança de suas abstinências diárias que eu sempre achei que fossem insuportáveis, porque não sabia que ficar sem saber delas tivesse sido tão infernal um dia. Sim, eu sou prolixa. Mas ainda não terminei de dizer o que deve ser feito. Peça um chá mate, com limão. Brigue se não tiver, eu exijo que seja com limão, e não se sente exatamente debaixo do sol, ou será capaz de me ouvir reclamar por isso. Feito? Podemos começar.
Seus olhos me parecem borrados, e estou dizendo antes que você me pergunte. Estenda a mão direita sobre a mesa. Finja que a minha está sobre a sua, e aperte-a para ouvir estas palavras: você não está sozinha, você nunca estará sozinha. Eu que sempre fui só, posso te afirmar que deixei dentro de você metade minha, ainda que eu viesse a descobrir que eu por inteira já era uma metade de mim. Quando você se sentir insegura, deixe sempre a mão sobre a mesa e lembre-se de como eu era capaz de segurá-la e conter qualquer desespero. Depois de ler isto, nunca mais olhe para si mesma com outros olhos que não os meus, que vão brilhar sobre a sua imagem mesmo quando você esfrega os olhos acabando de acordar como se estivesse vestida de noiva entrando na igreja com rosas vermelhas. Meus olhos acreditam em você. Peço que se veja sempre com eles. 
Está vendo esses rapazes que passam te olhando? Prefiro acreditar que um dentre dez milhões destes será forte o bastante para apertar a sua mão quando você se sentir triste, e talvez possa te oferecer um espaço no peito para deitar quando estiver com sono, sem que isso deixe de ser ligeiramente apaixonante como são todas as coisas bobas que se faz quando se está apaixonado. Não é porquê eu fazia tudo isso que nada disso poderá ser feito se eu não estiver aqui. Quem sabe nesse bar, uma dessas garotas fissuradas em arte não possa me beijar os olhos? Não podemos mais viver a vida adulta como a eterna adolescência de pensar que o sol nasce e se põe enquanto estamos nos olhando sobre lençóis jurando qualquer coisa que se devia ser jurada ali, apenas pelo juramento, como seria um bom roteiro de novela ou filme. E eu juro que isso passou. Atente-se caso surja o amor de novo, princesinha. Não me leve mais a sério quando eu te disse que poderia ser a única vez. Outro dia me peguei dizendo que o amor pode nos tocar a vida inteira e ser a primeira e última vez, mas...espera, nunca fico sem palavras, exceto quando você, debaixo de mim, deitada, me olhava nos olhos calmamente entre um e outro aceitando um tal pedido que ficou para trás. Você se lembra? Você não disse "Sim", você disse "Quero". E agora, princesa, olhe para o sol quando for se pôr e sinta que a vida pode te proporcionar de novo a melhor das alegrias, como se cada poente te indagasse se você realmente acredita em si mesma e quer ser feliz. Como se fosse para os meus olhos, responda: "Quero". Nada será mais certo do que isto.
Ah, suas unhas estão lindas, não estou vendo essa lasquinha de esmalte desgastado no seu anelar direito. Eu continuo me trocando com pressa como a pressa de quando perdíamos a hora tendo que deixar o quarto, e no mesmo segundo de um ligeiro beijo tínhamos que colocar as roupas, secar os cabelos, arrumar as malas.
Agora observe esse cara passando com um short esquisito. "Mas que que isso?" - diria. O engraçado é que ele parece não ligar, assim como nós não ligávamos para nada por sermos felizes. É assim que quero que você seja, e para ser feliz, você precisa esquecer da sua dieta por dez minutos e pedir uma sobremesa, aí, onde mandei você estar. Quando o garçom disser que tem salada de frutas, sorvete e mais alguma coisa, independente da resposta, peça um pudim. Hoje você precisa comer um pudim. Hoje você não precisa estudar. E se você realmente descobrir o quão longe pode ir, princesa, irá se apaixonar pelo que faz como eu me apaixonei por você um dia, e garanto, nunca mais será preciso estudar.
E, antes que eu me esqueça, obrigada por ter me dado o sentimento mais lindo da vida. Eu poderia não estar aqui amanhã, e levaria comigo a maior felicidade do mundo. E voltaria só para aconselhar que todos vivessem um amor insensato, de destino, irresponsável, adolescente. E talvez eu voltaria só para a gente se amar de novo, porque isso é tão bom que parece ser o real sentido da vida.
Está bem, está calor, pode se levantar agora. Esteja linda essa noite. É uma das coisas que você sabe fazer de melhor, por um talento nato. Olhe para o céu e diga "Quero!" quando entrarmos num novo ano, princesa. Entregue-se para toda a felicidade do mundo porque eu sei que você é capaz disso. E lembre-se de olhar para si mesma, daqui pra frente, como se tivesse os meus olhos. Vai saber do que estou falando. Daqui, eu direi: missão cumprida. E não peço mais nada senão que você dance até ficar suada, beba até que sua voz esteja indecifrável e continue cantando se não houver música. Mas não só hoje, a vida inteira, e olhando para si mesma como se fossem os meus olhos: porque um dia eu te amei e você me amou, princesa. E por um breve lapso que chamamos de eternidade, isso foi tudo.
Ah! Feliz Ano Novo.