terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Dói

Ai, quando sorri me dói
Me dói até a alma se você sorri
Me dói, esfria o corpo ver você partir
Me dói, destino é pouco, deixo você ir

Ai, quando grita comigo me dói
Me dói até o peito se você me odeia
Me dói o corpo todo, a alma incendeia
Me dói até os cabelos se você permeia

Ai, quando longe de mim, dói
Me dói a pele e a roupa onde não me toca
Me dói tocar tão rouca ainda a mesma nota
Me dói assim doendo e você fecha a porta

Ai, quando você me dói
Me dói até as veias vez que não há nua
Me dói ter na cabeça o sol e não a lua
Me dói todo o poema e essa dor é sua.