sexta-feira, 2 de março de 2012

Flor na enchente

Flor na enchente
Que ia embora
Florzinha amarela
Por que vais agora?
Flor na enchente
Que ia embora
Cruel menina
Do mundo afora
Florzinha amarela
Desceu a correnteza
Levou nas águas
Pétalas e beleza
Florzinha da rua
Sem nome nem cor
Flor que tinha
O espinho da dor
Descia na correnteza
Florzinha amarela
Não, não era ela
Também não era dela
Florzinha na enchente
Perdida que só
Não vais tão rente!
De mim, tem dó!
Florzinha, sacia
A sede na chuva
Florzinha não vais
Morrer viúva
Florzinha amarela
Por que me deixas?
Se me tens tão bela
Se depois te queixas...