quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Posso duvidar de tudo aquilo que é certo, do que é dito, até do que é feito. O que não deixa dúvidas, é o que está dentro de mim. Se eu sinto, é verdadeiro, e isso está acima de qualquer princípio, atitude, palavra, hipótese ou incerteza que me faça imaginar o contrário. O coração é o grande guia.