sábado, 29 de outubro de 2011

Tenho ficado tão feliz com você, e peço desculpas por não te escrever tanto. A minha vida (tragédia) amorosa era o instrumento da música, o papel da poesia, o lenço das lágrimas. Escrever era o meu desabafo. Mas você simplesmente me faz feliz, tão feliz, e eu ainda não aprendi a escrever sobre isso. E nem encontrei palavras para expressar como, nem quanto.