sábado, 9 de julho de 2011

Há um segredo comigo, mas meus lábios se fecham. Cruzo até os braços, também não deixo que você me deixe. Seus olhos me procuram dentro de mim, e vasculho alguma coisa perdida entre tanta bagagem de amor. 
Há uma sombra comigo, um sinal de delírio. Já deitei e levantei da cama, essa foi a quinta vez. Estendo o cobertor até o pescoço e fecho os olhos para imaginar onde você está (e nunca com quem). Fecho os olhos tão firmemente que chego a concretizar meu sonho, e você está sorrindo na minha frente...
Há um sonho comigo. Intocável, impossível, mas é um sonho. E a sua pele de cristal disposta a minha frente seria a melhor inspiração para esse inverno, tão frágil que pouco tenho olhado, pois quando olho, quero arrancar pedaço, e parece que vou devorá-la - não pela frente. Quando me encara, meus olhos fraquejam, e correm para algum lugar em que você não esteja.
Há um relógio atrasado. Mais um sol vai bater na janela. É, imagino que você não vem. O que eu não imaginava é que eu seria capaz de passar tantas horas te esperando.