sábado, 30 de abril de 2011

Os homens se resumem em dualismo - uns são muito sensíveis, outros muito ignorantes. O insensível, tão só, não há. Eis uma certeza.