segunda-feira, 14 de março de 2011

Primeiro ato

Estou olhando para você com os braços trêmulos, e os pés quase saltando da superfície. Talvez minha alma já esteja passeando ao seu redor. Se hoje meus olhos vibram pela sua imagem por querer te conhecer, é porque, por certo, amanhã eles podem se fechar de saudade. No amor é assim: vale tudo.