quinta-feira, 10 de março de 2011

Laço de prata

Amor, que lindo foi ver
Em teu peito um laço de prata
Agora não posso dizer
Que a saudade me arrebata

É como se em cada momento
Estivesse morando em teu peito
Um pedaço do meu sentimento
Que dorme contigo em teu leito

E acorda tocando tua pele
Que inveja - exclamo enciumada
Amo-te há tanto tempo
E não posso dizer-te nada

Então guardei as palavras
E o amor que tenho por ti
Dei-lhes um nó em meadas
E disse enquanto sorri:

Acompanha o meu bem amado
Já que longe vai estar
Mas fique em teu peito, calado
Sentindo-lhe o coração pulsar

E peças que não te tire nunca
Do conforto desta pele macia
Ah Deus, quem sabe este laço
Não volte a ser meu um dia?