segunda-feira, 28 de março de 2011

Em desespero

Essa coisa de magia, do tipo "não façam em casa", é exatamente assim que se deve fazer. Foi exatamente assim que eu não fiz. Agora fico encolhida no canto do quarto com as luzes acesas, e até o ventilador ligado para não ouvir mais nenhum som. Saber que a sua vida inteira será destruída não é fácil, é? E ver sentido nisso tudo pode ser pior. Socorro! Socorro! Socorro! Sim, estou frágil, tremendo, febril, torpe! Consigo sorrir algumas vezes, mas meu coração está sendo prensado com tamanha violência que sinto quase estourando. Dói demais, me ajudem. Estou colocando a minha vida nas mãos e dando para quem quiser cuidar. Dessa vez é sério. Eu não brinco mais de saber o futuro!