sexta-feira, 18 de março de 2011

Buquê de palavras

Dou meus versos como flores perfumadas
Bailarinos a saltar em compassos
São os poemas que perfazem minhas palavras
Da alegria em te ter nos braços

Se tocares em mim, num gesto louco
Temo perder-me em teus cabelos perversos
Quanto mais perto estás, já é pouco
E se longe vais, vão meus versos...

Buscar-te, e valem mais do que as flores
Mesmo sem perfume, nem espinhos
E sem ter a conjuntura de um jardim...

Pois machuca e arde - a pior das dores
É querer te dar proibido carinho
E calada guardá-lo todo para mim...