terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Tem acontecido algo tão lindo

Oi, amor. Te escrevo. Não, você nem liga, você não lê, a gente não se deu mais notícias. Mas eu quero falar de você.
Escrevo para dizer que tem acontecido coisas tão lindas como o que acontece agora. Um vento soprou o lado esquerdo do meu rosto e, de olhos fechados, eu senti seus cabelos se revirando em mim, como quando você fez aquelas mechas e me mostrou. Será que lembra?
Preciso dizer que tem acontecido coisas lindas, e algo lindo aconteceu pela minha tarde também. No trabalho, as coisas lindas acontecem quando penso em você. Olhei pela fresta da janela, espiando quietinha do 7º andar o que as nuvens diriam. E estou assim, levantando com dois dedos a cortina e te vendo de longe. Vendo que as coisas lindas acontecem. Havia um sol intenso e eu tive que lembrar do quanto brilhou nos seus olhos na nossa despedida. E eu não disse que desejaria um calor de quarenta graus só para te ver daquele jeito lindo e delicado? Ah, você não me abraça quando está suada. Isso é triste, uma das poucas coisas lindas que não aconteceram, porque eu podia ganhar três abraços, mas ganhei dois e um deles era o último. Eu não queria estar aqui agora para dizer isso, se antes soubese.
Não importa o quanto a minha história ficou triste sem você, certas coisas acontecem, e que você saiba - coisas lindas.
Agora (com lágrimas nos olhos), foi lindo você pedir que eu te esqueça. É a chance que tenho de provar que isso é impossível. E vai ser lindo continuar lembrando de você a minha vida inteira, como se cada dia fosse a sala de espera de um certo amanhã onde você chega. A noite vira o salão de embarque e eu brinco de contar as estrelas do céu para ver se o seu avião chega. É verdade, as estrelas me dão uma esperança.
Coisas lindas acontecem, e eu não sei dizer se mais algum dia vou estar ao seu lado. É por isso que ficou marcado aquele degrau de madeira, e você abraçando os joelhos, virando a cabeça para o meu lado, com os olhinhos meio fechados - aquela expressão de quando sorria - o rosto tão branquinho, e a seriedade que conquistei quando disse que te amava. Parece que seu rosto ainda está grudado no meu me dizendo tchau e que nos veríamos mais tarde. Só não tarde assim, como hoje que já é tarde demais...
Tem certeza que é para eu não te procurar? Mesmo assim, eu te acho em mim. São as coisas lindas que acontecem com ou sem você...