quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Gritante

A cidade me invade tanto
De tantos homens, mulheres, olhares
Que chego a tremer de medo
Que chego a me sentir só.

É que tantos homens, mulheres e olhares
Passam cruéis despercebidos
E tudo ecoa em um grito silencioso
A sociedade grita.

Há um rio que passa na cidade
E ninguém vê
Há homens pela metade
E mulheres também
Há um raio na cabeça de cada um
Com data marcada
Todo mundo tem um anjo e um diabo
Todo mundo cria asas...