quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Adeus, adeus, adeus, um grande amor

Vai-te longe - quem eu quero
No compasso da sereia 
Remando, remando
Remando só
No turbilhão de águas revoltadas
De uma maré cheia.

Vai-te longe, minha saudade 
Quase afogada 
Com um lencinho branco
Afora d'água 
Sinal de vida.

Vem de longe uma esperança 
Luzes de farol em alto mar
E a espera de te encontrar 
Se é que vai haver 
Encontro do rio com as águas
(Se é que as sereias existem).

E sigo só
Remando, remando
Remando só
No turbilhão de uma maré cheia.

Varia...
Vadia.
Vazia.

Adeus, adeus, adeus
Meu grande amor.