segunda-feira, 15 de novembro de 2010

As três razões

(Carta para um grande [ex]amor)

Haverá hora, meu amor, haverá vida. Sei que confia nas minhas palavras, sei também quando me toca o quanto a sua pele queima. Certas vezes parecemos brasa. E por mais que você nunca tenha me dito mais do que meias palavras, e por mais até que você tenha meio amor perto do meu – aquele que diz ser o mais puro e sincero de todos, ainda – eu entendo. Sei quando seus olhos pressionam e invadem os meus, com cores de mel e tons de saudade.
Você vai se lembrar da lua? Ultimamente ela tem andado quase cheia. Talvez nós. Ela é uma metade, mas que também pode ser uma metade completa. Há parte dela que deixou em mim, há parte dela que deixei em você. Casamos, na cerimônia de amantes.
Escrevo porque tenho certeza de que você não me esquece. Escrevo, também, porque se essas palavras não desgastam na tinta da caneta, você não me deixaria nunca mais.
Confesso ter tido muito medo, você me fez chorar demais. Mas há tanta gratidão, você me fez amar demais, você foi na minha vida um primeiro e grande amor. Nada vai me tirar de você, nada vai te tirar de mim. Estamos, como aquele abraço que você sentia arrepiar o corpo e o coração bater mais forte, perto. Tão perto. Algumas vezes até perto demais, mas antes não era o bastante. Hoje eu consigo te olhar sem que lágrimas me saiam dos olhos.
Eu te perdôo pelos erros, pois eu amava você. Acho até engraçada a sua cara dissimulada, como você devia achar a minha de choro. Existiremos sempre, como sobre um lençol de madrugada, sem luz alguma, só a respiração e algumas palavras de amor. Existimos ainda. Dá medo falar dessas coisas, porque o nosso amor existe também.
Eu sigo outros caminhos, você também. Temos outras pessoas, pode ser que a nossa missão tenha acabado. Mas os seus olhos são tão cheios de saudade e de memórias sofridas quando grudam nos meus, que eu precisava dizer essas palavras. Hoje me arrependo de você se omitir tanto, porque se suas palavras me derrubavam, o seu olhar tem me matado. Mas me olhe mais assim. Os meus olhos não devem dizer a você coisas tão diferentes. Coisas tão óbvias que eu te fiz sentir...
Só queria pedir que você fechasse os olhos e se recordasse das três razões. A primeira, de quando nos conhecemos, e uma emoção explosiva acenou para nós, em instantes que escreveram uma história para a eternidade. A segunda, que merece estar bem no meio, recheada, do abraço mais caloroso com a pele quente, com o coração incrivelmente batendo mais forte, até que dava para ouvir. A terceira, que eu deixei por último, é essa aqui, de hoje. É para você lembrar que éramos nós, por poucas noites em que vivemos todas as noites para marcarem uma vida inteira, e é uma vida inteira que eu vou levar se quiser tirar você de mim. E vai ser impossível que você me tire, porque eu sei quando, às vezes, vago repentina na sua memória.
Juntei todas as poesias que te fiz, comprei um presente. Mas eu não te dei nada, porque vi que mudaram os caminhos. E faz tanto tempo! Não tem problema, guardo tudo aqui comigo. Passou. Se eu amo outra pessoa? Se você ama também? Dizem que tudo acontece no tempo certo, e eu sei que o nosso passou. Eu te quero bem, meu amor, eu só não te entrego nas mãos de ninguém. Porque sei que se um dia você precisar de um colo, de braços abertos que te aceitem em qualquer ocasião, como eu te conheço, como eu te amei em cada detalhe de sofrimento que causou (e detalhes são coisas pequenas e desimportantes), e como eu te amei por um sempre jurado e cumprido, eu estarei aqui.
Sabe a lua? Pode ser o meu segundo nome. Ela estará no céu ali, sempre, mesmo que o dia não te deixe ver. Mas feche os olhos e sinta. Eu estarei com você, sempre, e eu posso até te tocar o corpo, o coração. Agora é a minha vez de fechar os olhos e ver que você estará comigo, e que nós estaremos sempre existindo em nós. Um dia - guarde bem isto - sentaremos em lençóis brancos e lembraremos de tudo.
Eu agradeço as carícias, os olhares, os abraços e os choros. Eu agradeço até a dor. Mudei a sua vida e para melhor, você diz. E você, o que fez para mim? Realizou um sonho de viver um lindo, intenso, duradouro, louco e grande amor. É história de romance, ninguém acreditaria. Pareceu ironia, destino, milagre.
Seus olhos pediram que eu dissesse isso. E quando os meus pedirem algo, faça também.
Eu te amei como pode ser que ninguém te ame e conheça tanto, mas é preciso, meu amor, dizer, eu te amo e eu vou estar ao seu lado.

Obs: Você ainda tem dúvidas se era ou não para entrar na minha vida?