sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Por que você não me esquece? Sim, é você que não me esquece, que se faz presente o tempo todo. Consigo andar pelas ruas, quase pulando os carros, desafiando o vento deixando que me leve toda a memória, mas prendo nos braços o seu nome e uma saudade. De mim ninguém levará, marcados com um ferro quente na minha pele. Faço de tudo contra a sua lembrança, tento te esquecer em outros rostos, mas há sempre um vento gelado que sopra na orelha, quando emerge faiscando a sua face de frente para os meus olhos, no meio da rua, em terceira dimensão. E essa brisa suave que me bate na cara soa devagar, é você sussurrando: eu estou aqui.