domingo, 5 de setembro de 2010

Dentro da lua

Um dia tu voltas, amor, eu sinto
Arrependida, com a alma torturada
Enquanto posso, ainda eu minto
Como se tu não me fosses mais nada...

Tanto falo, quase que acredito
Até parece que esqueço de ti
É quando me vem um anjo maldito
E pergunta se eu morri

Digo que larguei o meu sorriso
Em algum lugar da casa tua
E não sei se serve a alguém...

(Mais cruel ainda que isso
É procurar-te dentro da lua
Querendo-te só e mais ninguém!)