terça-feira, 10 de agosto de 2010

E se um dia for amor?

Você é uma daquelas pessoas que, se eu não desfrutasse do conhecer, rabiscaria a aparência e te inventaria na minha história, bem ao lado de um final feliz. Não sei parecer tão adulta quanto você a descrever essa sensação, quase roubo uma mensagem de papel de bala. É que quando a sua mão desliza na minha, mesmo com a ponta dos dedos, mesmo quase chegando e não indo, sinto alguma coisa. E sempre sinto alguma coisa parecida quando você atravessa meu caminho ou olho em seus olhos, soltando um sorriso até desmerecido, tímido e incessante. Podia escalar três vezes mais rápido uma das maiores montanhas do mundo, se simplesmente você me procurasse agora. Não há problema em ser tão platônico assim, ou te digo, ou você percebe. Dessa vez, quem dá as cartas? Não sei, não se sabe. O que posso dizer agora? Eu só queria você por perto.