quinta-feira, 15 de julho de 2010

Uma noite em que chorava

Na noite em que chorava
Confortou-me o rosto em teu peito
Tu não sabes uma palavra
Que calada escondi em teu leito

Não sabes que minhas lágrimas
Caem chamando teu nome
Nem quanto me tentam as lástimas
A morrer de um amar enorme

E troquei tudo o que diria
Pelo aconchego que me dava
O teu peito, onde adormecia
Com a mão que me acariciava

De repente um sono profundo
Já faltava o que dizer
Lembro-me que perguntaste
- Amor, que posso eu fazer?

Se um dia vier a te olhar
Com os olhos de quem vai chorar
Deita-me e não diz nada...

Abre os braços e convida
A consolar-me adormecida
Por que choro? Não sei...por nada...