segunda-feira, 23 de março de 2009

Maravilhosa!

Hoje eu vi a morte
Passou em rastro rápido
Ah, maravilhosa!
Eu vi a morte
E se estás em toda parte
Pois vês a mim
E és tão maravilhosa!

A minha vida não tem ritmo
Tem só uma ousadia
E uma tal voracidade
Que o diabo tem inveja
Da minha genial loucura
A entorpecente calmaria
Da mais cruel ternura

Ah, morte adorada
Passou-se tão rápido, eu corri!
A menos vem de repente
Pois enquanto mulher
Há muito tempo eu já morri!

Victória Prado